Eu tenho Transtorno de Ansiedade Generalizada. E eu tive desde a terceira série, sem sequer perceber o que estava acontecendo comigo. Só me lembro de me preocupar o tempo todo e de me preocupar com coisas que outras crianças da minha idade nem pensavam.

Minha jornada com essa doença mental tem sido um caminho acidentado, para dizer o mínimo. Eu passo meses sem nenhum sintoma, me sentindo despreocupado e feliz. E então, de repente, isso me atinge como um raio, e não posso fazer nada para pará-lo.

É um distúrbio muito assustador e inteligente. Por quê? Isso faz você pensar em coisas que você normalmente não pensaria. Pensamentos surgem em sua cabeça e você não pode fazer isso parar. Seu coração dispara e você não consegue engolir nenhum oxigênio. E não importa quantas vezes isso aconteça, ainda é assustador para mim.

Se eu não tivesse ansiedade, acordaria todos os dias com a cabeça limpa. Eu não passaria pela minha lista imaginária, já sobrecarregada com o dia que estava à minha frente.

Se eu não tivesse ansiedade, poderia fazer viagens, férias e concertos sem me importar com o mundo. Eu não teria que me preocupar com acidentes de carro, sobre me sentir claustrofóbico, sobre me assustar demais com a superestimulação.

Se eu não tivesse ansiedade, eu poderia respirar. Realmente respire. Sem inalações agudas. Sem dor no meu peito. Sem pânico. Sem energia real perdida.

Se eu não tivesse ansiedade, não teria que acordar no dia seguinte depois de beber, já em pânico com o que fiz ou deixei de fazer. Já está se preocupando. Sobre nada.

Se eu não tivesse ansiedade, seria uma amiga e companheira de maior apoio e filha. Eu respondia todos os telefonemas e mensagens. Eu não iria cancelar os planos que eu estava tão ansioso para. Eu não seria mal entendido.

Se eu não tivesse ansiedade, teria melhor auto-estima. Eu não questionaria minha capacidade de escrever. Eu não me questionaria como pessoa. Eu não questionaria a minha auto-estima e capacidade de amar. Eu apenas ficaria contente só comigo.

Se eu não tivesse ansiedade, eu não teria que ligar para meus pais no meio de um ataque de ansiedade, implorando para que eles me pegassem apenas para me sentirem um pouco mais seguros.

Se eu não tivesse ansiedade, meus dias mais brilhantes iriam brilhar no fundo da minha mente pela eternidade. Eu não teria que andar por aí com uma nuvem cinzenta me seguindo apenas esperando para me atacar.

Se eu não tivesse ansiedade, não seria julgado. Ser julgado por pessoas que não entendem. Quem não entende que isso é uma doença. É um desequilíbrio químico no meu cérebro que não posso ajudar.

Se eu não tivesse ansiedade, não teria que me explicar toda vez que encontrasse alguém novo ou saísse cedo. Eu não teria que me defender de algo que está fora do meu controle.

Mas aqui está a coisa – se eu não tivesse ansiedade, não seria tão forte quanto sou agora. Eu não seria tão resiliente e corajoso. E eu acho que você poderia dizer que eu nem seria eu .